Pacientes

Home / Pacientes

Sobre a Primeira Consulta

1 –  Uma das fases mais importantes no tratamento ortodôntico, é a primeira consulta.

2 –  Nessa consulta o paciente terá a oportunidade de conhecer o ortodontista, a clínica, a atmosfera do consultório. Além disso, é fundamental o paciente colocar para o profissional o que ele está buscando com o tratamento, o que ele quer corrigir. Às vezes um pequeno detalhe pode fazer uma grande diferença no resultado final. Na Ortodontia, há vários caminhos para se chegar ao mesmo destino.

3 – Antes de entrar na sala para a consulta inicial, o paciente vai preencher um questionário com perguntas básicas sobre o seu histórico médico.

4 – Uma vez na consulta, será realizado um exame clínico detalhado da face, cavidade bucal e estruturas relacionadas com o tratamento ortodôntico, como por exemplo, a Articulação Temporomandibular (articulação da mandíbula com a cabeça).

5 – Será pedido para o paciente fazer uma documentação ortodôntica com exames específicos para a avaliação da má oclusão. Esses exames compreendem a radiografia panorâmica, telerradiografias, tomografias computadorizadas, fotografias intra e extrabucais, modelos dos dentes em gesso. Esses exames deverão ser confeccionados em um laboratório fora do consultório. Normalmente os exames demoram em torno de 10 dias para ficarem prontos, e são enviados diretamente para o nosso consultório.

6 – Quando os exames chegam, começa a parte mais importante do tratamento, que é o diagnóstico e o planejamento do tratamento. É aí que o preparo e a experiência profissional fazem a diferença.Nessa fase, vamos verificar quais são alterações que o paciente possui na sua mordida (oclusão) e na posição dos ossos da face (maxilas e mandíbula). Vamos determinar se é necessário corrigir apenas os dentes através de um alinhamento, ou se é necessário corrigir também a mordida e a posição dos ossos da face.

7 – Uma vez pronto o diagnóstico, vamos determinar quais serão os melhores aparelhos para efetuar a correção. Se for necessário apenas o alinhamento dos dentes, pode-se empregar vários tipos de aparelhos começando pelos alinhadores transparentes removíveis, passando pelos fixos de metal e cerâmica e chegando no aparelho Lingual (invisível, que fica por trás dos dentes). Se for necessário corrigir também a mordida, além do aparelho para alinhar, provavelmente, será necessário utilizar também um aparelho acessório, extrabucal, como por exemplo o AEB, ou intrabucal, como o Forsus ou o Herbst. E, se for necessário corrigir as posições dos ossos nos pacientes adultos, aí vamos precisar da cirurgia ortognática. Nesse caso, primeiro montasse um aparelho fixo para alinhar os dentes, e algum tempo depois, o paciente faz uma cirurgia para corrigir a posição dos ossos da face.

8 – Com o diagnóstico e o planejamento do seu tratamento prontos, você será chamado para o retorno da primeira consulta. Nesta segunda consulta, serão apresentados os seus problemas, e quais as possíveis soluções. Às vezes, um mesmo caso possui duas ou três formas de tratamento, e você e o ortodontista poderão decidir qual a melhor opção para o seu caso.

9 – Uma vez decidido qual o melhor tratamento e quais os melhores aparelhos para o seu caso, será fornecido um orçamento com os custos. Normalmente, esses custos podem ser pagos de várias formas, e você também terá a oportunidade de escolher uma que seja apropriada para você. Na sequência, você começará o tratamento com a instalação dos aparelhos.

Sobre a Ortodontia

O tratamento ortodôntico
pode lhe fornecer:

  • MELHOR SAÚDE E CONFORTO
  • MELHORA NA APARÊNCIA
  • AUMENTO NA SUA AUTO ESTIMA

Como norma, resultados ortodônticos positivos podem ser alcançados por pacientes bem informados e cooperadores.
Portanto, as seguintes informações são rotineiramente fornecidas para todos que vão ser tratados ortodonticamente. Da mesma forma que você conhece os benefícios de possuir dentes saudáveis e um sorriso agradável, você também deveria estar ciente de que o tratamento ortodôntico tem limitações e riscos potenciais.

Normalmente, estes raramente são suficientes para evitar o tratamento, mas deveriam ser considerados ao se tomar a decisão de submeter-se ao tratamento ortodôntico. O tratamento ortodôntico quase sempre procede como planejado, entretanto, como em todas as áreas das ciências da saúde, os resultados não podem ser garantidos.

O tratamento e Outras Alternativas

O tratamento ortodôntico é executado de acordo com um planejamento baseado em informações clínicas: como o exame da cavidade bucal e análise facial ou radiográfica, modelos dos arcos dentários e fotografias. A decisão do que fazer será tomada com base científica e pela experiência profissional e o tipo de sua formação. A opção de tratamento sugerido não é a única e que provavelmente pode haver outras forma de tratar. O profissional julga melhor por estar apto a realizá-lo. As variações envolvem o que fazer e como fazer.

Em relação ao que fazer, as
alternativas mais comum são:

  • Tratamento com ou sem extrações de dentes permanentes.
  • Na falta ou perda de elementos dentários, conservar espaços para próteses ou implantes, ou fechar os espaços colocando dentes em posições atípicas.
  • Nas discrepâncias esqueléticas, tratar compensando com movimentos dentários ou utilizar os recursos da cirurgia ortognática.

No tocante ao como
fazer, as variáveis seriam:

  • Aparelhos ortodônticos fixos ou removíveis;
  • Aparelhos ortopédicos mecânicos associados;
  • Aparelhos ortopédicos funcionais.

Conheça nosso Tratamentos

Benefícios da Ortodontia

A Ortodontia desempenha um papel fundamental na melhoria da saúde bucal, no equilíbrio e na harmonia entre os dentes e a face para que se alcance um sorriso belo e saudável. Um sorriso agradável aumenta a auto estima, que por sua vez pode melhorar a qualidade de vida da pessoa. Dentes corretamente alinhados são mais fáceis de se escovar e portanto podem diminuir a tendência à carie ou ao desenvolvimento de doenças na gengiva e no osso de suporte.

Por causa da presença de condições individuais e de limitações do tratamento imposto pela natureza, cada benefício pode não ser atingido por todos os pacientes. O fator desconhecido em qualquer correção ortodôntica é a resposta do paciente ao tratamento ortodôntico.

Natureza e Finalidade

A Ortodontia luta pela melhoria da mordida auxiliando a direcionar as forças colocadas sobre os dentes, protegendo-os desta forma de traumas durante a mastigação. A Ortodontia distribui o estresse da mastigação por toda a boca minimizando traumas excessivos nos ossos, raízes, gengivas e articulações Temporomandibulares (ATM).

Através do tratamento ortodôntico, potenciais problemas dentários podem ser eliminados, incluindo o problema de desgaste anormal. O tratamento pode facilitar a higiene bucal, minimizando as cáries e futuros problemas periodontais. Além disso, a Ortodontia pode fornecer um sorriso agradável, o que aumenta a auto estima da pessoa.

Riscos

Todos os tipos de tratamento médico e dentário, incluindo a Ortodontia têm alguns riscos e limitações. Felizmente, na Ortodontia as complicações não são freqüentes e quando elas acontecem elas não são de grave conseqüência. Contudo, elas deveriam ser consideradas quando se toma a decisão de se submeter ao tratamento ortodôntico. Os principais riscos envolvidos no tratamento ortodôntico podem incluir:

  • 1)    Cárie dentária, doença gengival, e manchas permanentes (descalcificação) nos dentes podem ocorrer se os pacientes ortodônticos comerem alimentos contendo excesso de açúcar e/ou não escovarem seus dentes freqüentemente e corretamente. Estes mesmos problemas podem ocorrer sem tratamento ortodôntico, mas o risco é maior para o paciente ortodôntico.
  • 2)    Em alguns pacientes o comprimento das raízes dos dentes pode diminuir durante o tratamento ortodôntico. Alguns pacientes são mais propensos a este acontecimento, enquanto outros não. Normalmente isto não tem conseqüências significantes, mas eventualmente pode se tornar uma ameaça a longevidade dos dentes envolvidos.
  • 3)    A saúde do ossos e das gengivas que dão suporte aos dentes podem ser afetados pelo movimento ortodôntico do dente se um problema prévio já exista, e em alguns raros casos onde parecia não haver problema. Em geral, o tratamento ortodôntico diminui a possibilidade de perda dentária ou infecção na gengiva devido ao má-alinhamento dos dentes. A inflamação das gengivas e perda de tecido ósseo de suporte pode ocorrer se a placa bacteriana não for removida diariamente com uma boa higiene bucal.
  • 4)    Os dentes podem apresentar uma tendência a mudar suas posições após o tratamento (recidiva). Isto é geralmente apenas uma pequena mudança e a utilização adequada das contenções reduzem esta tendência. Durante a vida a mordida pode se alterar adversamente devido a várias causas, tais como: nascimento dos terceiros molares (sisos), crescimento e/ou alterações devido ao envelhecimento natural, respiração bucal, tocar instrumentos musicais e outros hábitos bucais, todos os quais podem estar fora do controle do ortodontista.
  • 5)    Ocasionalmente problemas podem ocorrer nas articulações do maxilar inferior (mandíbula), ou seja, nas Articulações Temporomandibulares (ATM), causando dores na articulação, dor de cabeça ou problemas no ouvido. Estes problemas podem surgir com ou sem tratamento ortodôntico. Qualquer um dos sintomas relatados acima deveria ser prontamente informado ao ortodontista.
  • 6)    Algumas vezes o dente pode ter sido traumatizado por um acidente prévio. O movimento ortodôntico pode em alguns casos agravar esta condição e em raros casos pode levar a necessidade do tratamento do canal do dente.
  • 7)    Algumas vezes os aparelhos ortodônticos podem ser acidentalmente engolidos ou aspirados, ou podem irritar os tecidos bucais. As gengivas, bochechas e os lábios podem ser machucados pelos aparelhos soltos ou quebrados ou por pancadas na boca. É normal uma certa sensibilidade após os ajustes no aparelho, e o período de sensibilidade varia de paciente para paciente. Normalmente esta sensibilidade dura de 24 a 48 horas. Você deveria comunicar ao ortodontista qualquer sintoma estranho, ou aparelhos soltos ou quebrados, tão logo quanto possível.
  • 8)    O aparelho de ancoragem extrabucal, se usado incorretamente, pode causar danos à face ou aos olhos, podendo até mesmo causar problemas de visão. Os pacientes são alertados para não utilizarem o aparelho durante atividades esportivas ou próximo a cachorros. Embora nossos aparelhos estejam equipados com um dispositivo de segurança, deve-se sempre tomar cuidado.
  • 9)    Algumas vezes, a cirurgia bucal (remoção de dentes, cirurgia ortognática, etc.) é necessária em conjunto com o tratamento ortodôntico, especialmente para corrigir apinhamentos e discrepâncias severas entre os maxilares. Os riscos envolvidos com o tratamento e a anestesia deveriam ser discutidos com o seu dentista clínico geral ou com o cirurgião buco-maxilo-facial antes da realização do procedimento.
  • 10)    Más formações dentárias, ou crescimento deficiente ou anormal dos maxilares podem limitar os resultados do tratamento ortodôntico. Se o crescimento torna-se desproporcional durante ou após o tratamento, ou um dente se forma muito tarde, a mordida pode se alterar, requerendo tratamentos adicionais ou, em alguns casos, até mesmo a cirurgia bucal. Desarmonias de crescimento e formações dentárias anormais são processos biológicos que estão além do controle do ortodontista. As alterações de crescimento que ocorrem após o tratamento ortodôntico ativo podem alterar a qualidade dos resultados do tratamento.
  • 11)    A previsão do tempo de tratamento não é exata, mas pode-se fazer uma estimativa. Crescimento craniofacial inadequado, diversidade nas respostas biológicas, faltas freqüentes, quebra do aparelho e pobre cooperação com aparelhos removíveis, podem prolongar o tempo de tratamento e impedir a obtenção de um bom resultado final.
  • 12)    Devido a ampla variação no tamanho e forma dos dentes, algumas vezes para se atingir os melhores resultados possíveis (por exemplo, fechamento completo dos espaços) torna-se necessário a utilização de procedimentos de restaurações dentárias, onde aumenta-se o tamanho do dente por meio de resinas ou mesmo próteses.
  • 13)    Problemas gerais de saúde. Algumas doenças como o diabetes, disfunções renais ou hormonais, podem ter influência sobre os efeitos do aparelho nas reações provocadas nos dentes e nos tecidos de suporte. O mesmo ocorre com medicamentos, inclusive pílulas anticoncepcionais. Mantenha o ortodontista informado sobre seu estado de saúde e medicamentos em uso. Em caso de doenças infecto-contagiosas informe o profissional.